Marketing

Branding: o que é, dicas e como trabalhar a gestão de sua marca.

Branding é um conjunto de ações que estão alinhadas ao posicionamento da empresa. O objetivo do branding é criar conexões com o cliente, é isso que fará ele tomar a decisão de compra.

Pense durante 1 minuto em uma marca. Além de pensar no nome, nas cores, letras, formas, sons você também pensou em sensações e lembranças?

É exatamente essa a função do branding: despertar sensações e criar conexões conscientes e inconscientes, que serão cruciais para que o cliente escolha a sua marca no momento de decisão de compra do produto ou serviço.

Todos os movimentos que uma marca faz, desde a criação de um logotipo, escolha da fonte, discurso, tom de voz, valores da empresa, jingles, pessoas que irão representar, tudo isso ajuda a construir a personalidade de uma marca na mente do consumidor através de percepções e sensações.

Essas práticas auxiliam na criação de valor além do produto. É mais que o produto, é quem a marca é. É a criação de significado por meio de símbolos.

Qual a importância do Branding?

A globalização aumentou a competitividade, e demonstrar diferencial de marca passou a ser necessário, assim como ter um propósito que vá além de um posicionamento.

Segundo pesquisa realizada pela Ana Couto Branding, quando uma marca consegue se conectar verdadeiramente com seu consumidor através do seu propósito, a percepção de preço pode mudar: 67% dos entrevistados disseram estar muito dispostos a comprar um produto de uma marca que se conecte com eles a partir de um propósito comum e se dispõem a pagar mais por isso, já que enxergam valor real nessa aquisição.

Ter uma marca com personalidade e propósito, criar identificação com as pessoas, com suas histórias e suas causas. Assim, promover boas experiências de marca é a chave para a recomendação, que hoje é uma das armas mais poderosas para aquisição de novos clientes.

Como fazer um trabalho de branding com Marketing Digital

Branding é um conceito que surgiu antes do Marketing Digital. Quando a internet ainda não existia, as marcas expressavam o seu posicionamento e se relacionavam com o público por meio da publicidade convencional (rádio, jornal, TV).

Com o cenário sendo transformado pela tecnologia, o Marketing Digital trouxe novas possibilidades para o branding. Alguns especialistas falam sobre o conceito de digital branding, que é basicamente fazer branding no ambiente digital.

Hoje, uma marca pode escolher canais super personalizados e com menor custo para se relacionar com seu público, assim como oferecer diferentes formas de compra. Existem diversas formas de trabalhar branding na internet. Podemos dividir as iniciativas em dois grupos:

1. Identidade Visual

São as representações visuais da sua marca que ajudam a criar uma identidade na mente do consumidor: logo, um estilo de foto, fontes, cores etc. Quanto mais alinhada ela for, mais provável e rápida será a associação na mente de quem busca opções de marcas.

Adeque o seu logo

É extremamente importante que, no momento da criação da sua marca, ela também seja pensada para web. Os formatos de arquivo que são usados para materiais impressos são diferentes dos usados para a internet. Assim, pense na aplicação da sua marca, na facilidade de leitura e entendimento do nome quando ela estiver em versões reduzidas.

Crie o seu manual de marca

No manual, devem estar todas as cores que a marca pode ter, qual a fonte foi usada na sua criação dela, quais são os códigos das cores, como ela deve ser aplicada em materiais, versões verticais e horizontais etc. 

Determine uma unidade de estilo

Busque exemplos de fotos que tenham uma mesma linha e que sirvam de exemplo para o estilo que você quer adotar para a marca. Procure seguir um estilo, pois ele comunicará muito da sua marca.

2. Estratégia

A estratégia faz o papel de transmitir os valores não visuais, é como você transmite o seu propósito. A criação de percepção pela estratégia se dá num nível mais profundo, em que o consumidor se identifica não só com o estilo, mas com os valores da marca criando uma conexão mais forte.

Personalidade da marca

Qual a personalidade da sua marca? Que adjetivos ela tem? Se ela fosse uma pessoa, como ela seria? Essas perguntas ajudam a criar uma imagem mental mais clara.

Tom de voz

Como é a linguagem da marca? É descontraída? É especializada? Você precisa adequar a linguagem ao público. Pesquise quais são os termos usados pelos seus clientes em conversas casuais e adote os que fazem sentido para sua marca. A linguagem tanto escrita quanto por emojis é uma ferramenta muito forte de conexão.

Canais

Onde está seu público? Quais canais ele usa para se relacionar com outras marcas e pessoas? Existem diversos canais nos quais você pode se relacionar como por exemplo WhatsApp, e-mail, redes sociais. Lembrando que você não precisa estar presente em todos os canais, mas sim nos que tem um papel estratégico para o crescimento do seu negócio.

Recomendamos que você inicie com a criação de um site, para incluir a sua empresa nos resultados de busca que os clientes realizam. Lembre-se de que todas as novidades que sua marca lançar devem estar no seu site ao mesmo tempo.

O segundo passo é criar uma fan page no Facebook, que é hoje a maior comunidade online do mundo. Ela ainda permite a integração completa com outras redes sociais da família do Facebook, como o Instagram e o WhatsApp.

Conteúdo

Uma boa estratégia de conteúdo não ajuda somente sua marca a se destacar na busca, mas faz com que ela tenha visibilidade e ganhe autoridade no meio. 

Aplicando os conceitos de unidade visual do branding, lembre-se de que o seu conteúdo deve ser personalizado com a identidade da marca em todos os canais e materiais.

Diferenciação da Marca

A percepção de valor varia não apenas com a marca, mas com tudo aquilo que a cerca.

Padrões devem ser evitados e desconstruídos, de acordo com o palestrante. Ele citou o caso de uma empresa de fornecimento de gás natural, um negócio invisível. Como usar algo que não pode ser visto para fazer branding? A saída foi ligar a marca à energia, no sentido sensorial do termo, diferenciando-se do habitual do mercado.

As Havaianas por décadas, foram apenas as sandálias que “não deformam, não soltam as tiras e não têm cheiro”. Ou seja, o marketing focava nas características físicas do produto, o que criava a associação a algo barato e a ser evitado pelas classes mais altas.

Hoje, porém, as Havaianas ganharam o mundo e são distribuídas, por exemplo, em sacolas com brindes na entrega do Oscar. O que passou a atrair as maiores celebridades do planeta ao chinelinho de borracha? A brasilidade, o nosso jeito cool de ser. Esse é, atualmente, o branding do produto, que continua essencialmente o mesmo.

Entregar o que promete é Branding

Uma boa estratégia de branding só sobrevive se a empresa entregar o que promete. Não é promessa publicitária, mas sim um relacionamento completo com o consumidor.

Isso passa pela preocupação constante com a reputação da marca. O cumprimento das primeiras promessas permite que, no futuro, o cliente tenha a confiança de que você voltará a entregá-las.

A gestão da marca pode transforma-la em amiga

Na era das redes sociais, as recomendações de amigos têm um papel fundamental na decisão de compra dos consumidores. O velho boca a boca é amplificado para milhares de pessoas, seja no Facebook ou no Instagram.

O branding pode fazer com que a sua marca seja vista como uma amiga. Vamos pegar como exemplo a fan page da Prefeitura de Curitiba, que virou sucesso abordando assuntos da administração da cidade com leveza, mesmo os mais burocráticos. Até hoje, é referência para contas em redes sociais de administrações públicas.

De nada adianta, porém, uma estratégia de comunicação que não esteja atrelada ao serviço real.

Branding é propósito

Várias empresas transformam seus negócios a partir de seus propósitos, mesmo que não sejam ativistas. A Farm, por exemplo, vende o estilo da garota carioca. A Tesla Motors produz computadores sobre rodas. Esses são exemplos de como a proposta de branding influencia a cultura, os valores e a estratégia.

Neste post vimos a importância do branding e você pode entender um pouco mais sobre o que é e como pode (e deve) ser incluído em suas estratégias de marketing.

Para mais conteúdos como este, é só ficar atento as novas postagens 😉


Comentários